quinta-feira, junho 13, 2024
TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO AMAZONASspot_imgspot_img

NOTÍCIAS ALEAM

InícioCULTURADIVERSOSMulheres se reúnem em protesto no centro de Manaus

Mulheres se reúnem em protesto no centro de Manaus

Com o tema “Por mim, por nós, pelas outras”, a Articulação de Mulheres Brasileiras (AMB), Articulação de Mulheres do Amazonas (AMA) e Central Única dos Trabalhadores (CUT) através da Secretaria de Mulheres, realizaram na tarde desta segunda-feira (25), às 16h um ato na Praça do Congresso, no centro de Manaus(AM), em seguida uma caminhada até a Praça da Igreja Matriz , onde o ato foi encerrado com uma Vigília Feminista em alusão ao “Dia Latino Americano da Não Violência Contra as Mulheres”. Pelo menos 50 mulheres participaram.

A data, 25 de novembro, anualmente é celebrada anualmente em todo mundo, em homenagem ao assassinato de três ativistas politicas, as irmãs; Patria Mercedes, Minerva Argentina e Antonia María Teresa Mirabal, torturadas e assassinadas na República Dominicana, por ordem do ditador dominicano Rafael Leónidas Trujillo em 1960, fato que deu origem ao Dias de Ativismo pelo Fim da Violência Contra as Mulheres.

“Hoje é um dia muito importante, porque é o dia onde três mulheres foram assassinadas na Republica Dominicana e a partir daí a Organização das Nações Unidas (ONU) instituiu o dia 25 de novembro como o Dia Latino Americano da Não Violência Contra as Mulheres. Desde então nesse dia as mulheres tem clamado por justiça. É um dia de denuncia. É uma luta que é de todos onde devem participar as famílias, a sociedade e principalmente o poder publico”, enfatizou Socorro Prado, representante da AMB.

Ainda na segunda-feira, outros dois atos feministas foram realizados na capital amazonense; um em frente à Delegacia de Mulheres no Parque 10 de Novembro, zona centro sul de Manaus e outro e em frente o Tribunal de Justiça do Amazonas (TJA) no bairro São Francisco, este ultimo para chamar atenção do judiciário quanto à problemática da violência contra a mulher.

“Estamos nas ruas protestando, pois estamos vivendo um momento de ausência do estado, onde as mulheres não tem apoio; a Casa Abrigo está fechada, os Centros de Referencias da Assistência Social (CRAS) não funcionam. É ausência total do estado, das politicas publicas para as mulheres”, comentou Socorro Papoula, coordenadora da AMA.

Ao todo, são 16 dias de ativismo, numa campanha anual e internacional que começa dia 25 e vai até o dia 10 de dezembro. O inicio é em 25/11 – Dia Internacional da Mulher; Dia 01/12 – Dia contra a AIDS, 06/12 – Dia do Laço Branco e 10/12 – aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos.

Para Isabel Guimaraes a mobilização feminina e feminista no Amazonas ganha força com o passar dos anos, e tem se tornando um habito ir a praça publica reivindicar os direitos das mulheres. “Esse é um dia em que os movimentos sociais atuam e  vão as ruas reivindicar das autoridades politicas publicas. É a continuidade da conscientização dos homens sobre a não violência com as mulheres. No Brasil a cada três horas uma mulher é assassinada”, finalizou a secretária de Mulheres da CUT.

 

 

 

 

 

 


Ato Público inicia campanha pelo fim da violência contra mulheres no Amazonas
 
No Amazonas, a campanha “16 dias de ativismo pelo fim da violência contra as mulheres” acontece até o dia 11 de dezembro
 
 
Nesta segunda-feira (25/11), o Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc), iniciou a campanha “16 dias de ativismo pelo fim da violência contra as mulheres”,uma mobilização global que tem o objetivo de prevenir e eliminar todas as formas de violência de gênero.
 
A campanha iniciou com um Ato Público, na Delegacia da Mulher do Parque 10, e contou com distribuição de informativos sobre as atividades e abordagens de conscientização sobre a Rede de Atendimento à Mulher Vítima de Violência do Amazonas. No evento, representantes de movimentos sociais e parentes acenderam velas como homenagem para vítimas de feminicídio.
 
Durante a atividade, a titular da Sejusc, Caroline Braz, destacou a importância das políticas públicas voltadas à mulheres vítimas de violência.
 
“Essa é uma campanha relembrada internacionalmente para trazer a reflexão e fazer realmente uma mobilização de toda a sociedade contra atos de violência contra mulher. Temos uma programação diversificada até o mês de dezembro”, enfatizou.“O Governo vem trabalhando na garantia dos direitos das mulheres através de sua rede de atendimento, que acompanha a vítima desde o boletim de ocorrência, até o lado social e psicológico”.

Ao longo do mês, a programação contará com rodas de conversa, ato público, caminhada, cursos de capacitação e mostra de trabalhos.
 
Sobre a campanha –“16 dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra a Mulher” é um campanha internacional, criada durante o primeiro encontro “Women’s Global Leadership Institute”, em 1991. Desde então, a data é apoiada por instituições, escolas e sociedade civil de todo o mundo.
 
Confira a programação completa:
 
26/11
Curso de capacitação jurídica para delegados, peritos e ouvidores, Defensores Públicos do Estado do Amazonas
8h
Auditório da Delegacia Geral, na Avenida Pedro Teixeira,237.
 
26/11
 
Audiência Pública “16 dias de ativismo pelo fim da violência contra a Mulher”
11h
Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas : Avenida Mario Ypiranga, 3950, Flores
 
27/11
Mostra de Boas Práticas e Atendimento do Ônibus da Mulher
14h
Largo de São Sebastião, Centro
 
1/12
Roda de conversa do Dia Mundial de Combate a Aids
9H
Colégio Militar da Policia Militar do Conjunto Viver Melhor 2
 
6/12
Caminhada do Dia Nacional de Mobilização dos Homens pelo fim da Violência Contra as Mulheres
17h
Fórum Azarias Menescal, na Avenida Autaz Mirim, 8812, Jorge Teixeira.
 
11/12
I Mostra de Trabalhos da equipe interdisciplinar do Serviço de Apoio à Mulher, Criança e Idoso (Samic) de Itacoatiara
8H
Auditório do Fórum de Itacoatiara, na rua Acácio Leite, 350.
 
FOTOS: Arthur Castro/Sejusc
 
Mais informações: Assessoria de Comunicação da Secretaria de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc): Manuella Barros (98172-9842) e Karla Mendes (99130-9791).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_imgspot_img

Manaus

Polícia prende um dos suspeitos de estuprar e transmitir vírus do HIV para crianças e adolescentes

O técnico em edificações Rodrigo Wenderson Nunes dos Santos, 31, suspeito abusar sexualmente de crianças e adolescente e transmitir o Vírus da Imunodeficiência Humana...

Lançado Livro de Saberes Tradicionais Quilombolas, em N. Airão

  Um Estudo Sobre as Práticas Educativas na Escola Municipal Jaú Tambor Na noite do último sábado (8/6), Novo Airão, município da Região Metropolitana de Manaus,...

Delegado João Tayah retira placa de apologia à pena de morte em via pública

O delegado de polícia e pré-candidato a vereador pelo PT, João Tayah, retirou uma placa fixada em um poste da Avenida Torquato Tapajós, no...

“Semana Solo Seguro Favela”, Urbanismo Sustentável no Amazonas

De 3 a 7 de junho de 2024, a Corregedoria-Geral de Justiça do Amazonas (CGJ/AM) vai realizar a 1a. edição da “Semana Solo Seguro...

Junho Violeta: Amazonas combate violência contra pessoas idosas

O Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc), promove, a partir de terça-feira (04/06), uma série de...
spot_imgspot_img

POPULARES

spot_imgspot_img
spot_imgspot_img