quinta-feira, julho 25, 2024
TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO AMAZONASspot_imgspot_img

NOTÍCIAS ALEAM

InícioBRASILFaixas, ponteiras e abordagens ao professor !

Faixas, ponteiras e abordagens ao professor !

* Artigo publicado originalmente nas páginas de GRACIEMAG. Para conhecer mais sobre a história, as tradições e as técnicas do Jiu-Jitsu.

 

Ao olhar as faixas de cada modalidade marcial é fácil identificar prontamente as de Jiu-Jitsu. Segundo o GMI Muzio de Angelis, faixa-preta quinto grau e um dos árbitros mais experientes da IBJJF, o uso da ponteira nas faixas nasceu com a intenção de diferenciar a arte do judô, que usa faixa lisa.

Tal tirinha de pano na extremidade da faixa, que deve ser usada tradicionalmente para o lado esquerdo, merece um estudo aprofundado, pois pode revelar muitos detalhes sobre quem a usa.

Vamos começar com as faixas coloridas. Nestas é usada uma ponteira na cor preta que abriga até quatro graus, que servem, basicamente, para o professor controlar o tempo de cada aluno naquela faixa.

Ao se tornar um faixa-preta, a ponteira muda para a cor vermelha. Há uma lenda que diz que o objetivo dos praticantes de faixa colorida é chegar até a preta, por isso sua ponteira é desta cor. Já o faixa-preta tem por meta atingir a vermelha, sendo sua ponteira rubra.

“Desde que eu tinha 6 anos de idade o sistema de cor da ponteira sempre foi o atual. Não posso confirmar esta história. No meu entender as ponteiras possuem uma cor para que possa destacar de forma clara a graduação de cada um e mais nada”, explica o diretor de arbitragem e faixa-preta sexto grau Álvaro Mansor.

Ainda segundo Mansor, o que distingue o faixa-preta professor do faixa-preta comum é o uso de uma tira branca em cada extremidade da ponteira, como se fossem aparadores. “Há que se respeitar o tempo mínimo de um ano na faixa-preta para utilizar essas tiras nas extremidades da ponteira”, explica Álvaro.

Essas tiras vão mudar de cor mais para frente. Ao chegar na faixa-coral, elas ganham coloração prateada; mais adiante, mudam para dourado na faixa-vermelha.

Nas competições é comum ver atletas usando ponteiras brancas em suas faixas. Isso é explicado pelo uso de faixas sem ponteira, o que é proibido pelas regras da IBJJF. Assim, para poderem lutar, os atletas acabam criando uma ponteira com o esparadrapo, cor que é permitida pela regra, o que gerou o mito de que o atleta deve usar ponteira branca.

“O atleta quer usar uma faixa bonita, daquelas tradicionais do judô, com seu nome gravado em japonês, e a solução para competir acaba sendo essa, passar esparadrapo na ponta, uma vez que a regra não permite competir sem ponteira”, lembra Muzio.

Por fim, as ponteiras servem ainda para dar a correta nomenclatura ao professor. Até o sexto grau na faixa-preta a pessoa deve ser chamada apenas de “professor (a)”.

É comum vermos professores sendo chamados de “sensei”, o que não está errado. Sensei é a referência em japonês para a palavra professor e tem sido usada no Jiu-Jitsu por influência dos japoneses. Já o título de mestre é reservado aos que atingem a faixa-coral, passando para grande mestre ao atingir a faixa-vermelha.

“Vemos alunos chamando professores de mestre mas não acho isso um erro tão grave. O aluno muitas vezes chama por carinho ou por desconhecer a correta nomenclatura. Errado mesmo é o professor se intitular mestre sem ainda o ser”, conclui Muzio.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_imgspot_img

Manaus

Deputado Roberto Cidade é autor de 24 leis em 2024

  Mantendo o retrospecto de ser um dos parlamentares mais atuantes na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), o deputado estadual Roberto Cidade (UB), presidente do...

Descumprimento da ‘Lei do Motoboy’ em Manaus é questionado por profissionais

Após a prisão de três motociclistas envolvidos em uma briga com um morador de um condomínio no bairro Flores, Zona Centro-Sul de Manaus, a...

OAB AM inaugura ponto de inclusão digital em Careiro Castanho

  Na segunda-feira, 15/07, a Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Amazonas (OAB-AM), na gestão de Jean Cleuter, inaugurou mais um Ponto de Inclusão Digital...

Darius Nakai explica diferença entre harmonização orofacial e cirurgia plástica

O ser humano nunca está satisfeito plenamente com a aparência. Sempre em busca de uma beleza única, muitas pessoas têm explorado diferentes opções, destacando-se...

Di María se aposenta após mais um título: “Ganhei tudo”

Ser destaque em uma Seleção que tem Lionel Messi não é  e nunca foi missão fácil. Mesmo assim, Angel Di MAria sempre esteve lá,...
spot_imgspot_img

POPULARES

spot_imgspot_img
spot_imgspot_img